imaginário

O Rio de Janeiro como Território de Luta: as tentativas insurrecionais de José Oiticica e parte da classe operária carioca à consolidação de um imaginário anarquista

Resumo

Este artigo pretende analisar o contexto que favoreceu a realização dos movimentos grevistas do final da década de 1910 no Rio de Janeiro-RJ. A cidade, na visão dos defensores do ideal ácrata, configurava-se como o território ideal para o início da transformação social almejada pelos mesmos. A pesquisa objetiva à reflexão sobre o porquê, na visão de Oiticica e de outros anarquistas, o operariado deveria se rebelar, naquele momento, contra o sistema vigente. Este período entre 1917 e início dos anos 1920, foi marcado por intensa organização e atuação do movimento operário. Tal fato resultou na deflagração de várias greves e também na esperança, por parte dos anarquistas que atuavam nos meios operários, de que seria possível iniciar uma revolução e, assim, alcançar a destruição total do Estado capitalista brasileiro. Motivados pelos problemas que os proletários enfrentavam, entre eles a carestia de vida intensificada pela Primeira Guerra Mundial e a falta de legislação do trabalho, e pelo imaginário construído a partir do sucesso da Revolução Russa, anarquistas e demais militantes da causa operária, lançaram-se na tentativa da emancipação do homem em relação ao capital e transformação do território político nacional daquele contexto. O conflito envolveu práticas sociais e espaciais que caracterizaram um processo, temporalmente localizado, de luta de classes pela construção e consolidação de novos simbolismos tendo como oposição a manutenção das condições e estruturas já estabelecidas.

Abstract

This paper intends to analyze the context that favored the achievement of the late 1910s strike movements in Rio de Janeiro - RJ . The city, in the view of the advocates of anarchist ideal, it configured as the ideal territory to the beginning of the desired social transformation. The research aims to reflect about why, in the view of Oiticica and other anarchists, the working class would revolt at that time against the current system. This period, between 1917 and the early 1920s, was marked by intense organization and activity of the labor movement. This fact resulted in the initiation of various strikes and also in the hope, by the anarchists who were acting in the workers’ environments, that it would be possible to start a revolution and thus achieve the total destruction of the brazilian capitalist State. Motivated by problems that workers faced, including the cost of living intensified by the First World War, and the lack of labor legislation, and the imaginary built from the success of the Russian Revolution, anarchists and other militants workers’ cause, were cast in attempted of man’s emancipation in relation to capital and transformation of the national political territory of that context. The conflict involved social and spatial practices that characterize a process temporally located, of class struggle for the construction and consolidation of new symbolisms, having as opposition the maintenance of the conditions and structures already established.

Das Sinfonias ao Samba: Representações Cinematográficas da Metrópole Brasileira

Resumo

O trabalho aborda as representações das cidades através do cinema, e sua atuação na composição de imaginários. São exploradas especialmente as obras cinematográficas que se utilizam da captação de imagens da metrópole em si, partindo das Sinfonias Urbanas do cinema de vanguarda dos anos 1920, passando pelo neorealismo italiano e chegando à cinematografia moderna brasileira. Sobre a cidade de São Paulo e seu imaginário de “Cidade Máquina”, percorrem-se as obras São Paulo Synphonia da Metropole (Adalberto Kemeny e Rudolf Rex Lustig, 1929), Simão o Caolho (Alberto Cavalcanti, 1952), Noite Vazia (Walter Hugo Khouri, 1964) e São Paulo Sociedade Anônima (Luís Sérgio Person, 1965). Já sobre o Rio de Janeiro, “Cidade Samba”, são abordadas as obras Rio 40 Graus (1955) e Rio Zona Norte (1957), ambos de Nelson Pereira dos Santos, Cinco Vezes Favela (Marcos Farias, Miguel Borges, Cacá Diegues, Joaquim Pedro de Andrade e Leon Hirszman, 1962) e A Grande Cidade (Cacá Diegues, 1966).

 

Abstract

The work examines the representation of cities through film, and its performance in composing imageries. Are especially approached cinematographic works that capture images of the metropolis itself, like the Urban Symphonies of 1920’s avant-garde cinema, Italian neorealism, and finally the Brazilian modern filmmaking. About the city of São Paulo and its imagery of “Machine City”, are presented the movies São Paulo Synphonia da Metropole (Adalberto Kemeny and Rudolf Rex Lustig, 1929), Simão o Caolho (Alberto Cavalcanti, 1952), Noite Vazia (Walter Hugo Khouri, 1964) and São Paulo Sociedade Anônima (Luís Sérgio Person, 1965). About Rio de Janeiro, “Samba City”, are discussed Rio 40 Graus (1955) and Rio Zona Norte (1957), both by Nelson Pereira dos Santos, Cinco Vezes Favela (Marcos Farias, Miguel Borges, Cacá Diegues, Joaquim Pedro de Andrade and Leon Hirszman, 1962) and A Grande Cidade (Cacá Diegues, 1966).