Representações

As representações, como formas de apreensão do mundo, contrapõem diferentes percepções do real. Podem ser instrumentos de persuasão, de afirmação de valores compartilhados, como também do exercício do poder. Tornam o ausente presente e operam no âmbito das correspondências simbólicas. As representações se relacionam tanto ao individual quanto ao coletivo, expressando identidades e reconhecimentos. Por isso, sobre elas não há consenso, e nem são fáceis de decifrar. No jogo de tensões entre representações diversas se instalam resistências e se realizam sublevações. Esta sessão pretende reunir estudos dedicados a representações da cidade e do urbano, compreendendo pesquisas sobre iconografia, literatura, cartografia, rituais, patrimônio histórico, e mais quaisquer objetos que possam ser analisados sob a ótica das representações.

Representações da república no aformoseamento da Praça João Clímaco, Vitória – ES

 

Resumo

Este artigo trata da remodelação de determinado espaço público de Vitória, Espírito Santo, a Praça João Clímaco, nos primeiros anos do século XX, evocando representações republicanas, com o firme propósito de eliminar traços coloniais e atribuir feições modernas ao ambiente urbano da capital capixaba. O artigo pauta-se em pesquisa baseada no exame de dados documentais relacionados a relatórios de governos, periódicos locais, cartografia e iconografia envolvendo período entre a segunda metade do século XIX e as duas primeiras décadas do século XX. O recorte temporal refere-se à época de promissor desenvolvimento econômico no Espírito Santo, propiciando melhoramentos urbanísticos em Vitória. Este recorte teve também como hipótese o interesse do poder público pela construção de infraestrutura de embelezamento na cidade, tendo em vista a visita de D. Pedro II, em 1860, marcando o início do período estudado, e a inauguração do Parque Moscoso em 1912, marcando o fim do período, com a materialização da representação de modernidade almejada. O destaque atribuído à Praça João Clímaco, tornando-se objeto de interesse deste artigo, advém de vários aspectos. Um deles diz respeito a sua longevidade, considerando ter sido, sempre, espaço livre contíguo às principais edificações institucionais religiosas, denotando também, sua localização privilegiada. Outro aspecto ainda, se refere ao empreendimento público de transformação da área realizado de modo a torná-lo representação dos tempos republicanos e a se caracterizar como ponto de partida para a modernização dos espaços adjacentes. Os documentos examinados, além de permitir o registro cronológico desta transformação, demonstram que a Praça João Clímaco se constituiu em elemento estratégico da modernização capixaba no ensejo da República, estimulando a instauração de uma urbanidade social e a irradiação de uma fisionomia moderna em seu entorno. Constatou-se também, no período estudado, o despertar pelo usufruto do espaço público em Vitória, associado à contemplação da paisagem.

 

Abstract

This article deals with the remodeling of a public space in Vitória, Espírito Santo, João Clímaco Square in the early XX Century, evoking republican representations, with the intention of eliminating colonial traits and to assigning modern features to the urban environment of the State capital. The article researched on documental data from government reports, local periodicals, cartography, iconography involving the period between the second half of the XIX century and the first decades of the XX century. The time frame refers to the time of a promising economical development in Espírito Santo, favoring urban improvement in Vitória. This time frame also had as a hypothesis the government interest in building the beautification infrastructure in the city, in view of the Emperor ‘s visit in 1860, establishing the beginning of the studied period, and marking the end of the period, the opening of Moscoso Park in 1912 as the materialization of the desired modernization. The emphasis given to João Clímaco Square, becoming the object of interest of this article comes from several aspects. One

of them relates to its longevity, as it has always been an open space adjacent to major religious institutional buildings, denoting its prime location. Another aspect refers to the government area transformation venture, carried out in order to make it representative of republican times, to characterize as starting point for the modernization of the adjacent spaces. The documents examined, besides enabling the chronological register, show that João Clímaco Square has been a strategic element of Capixaba’s modernization during the Republic, stimulating the establishment of a social urbanity and the spread of a modern face in its surroundings. During the studied period it was also observed the awakening for the use of public space in Vitória, associated to the contemplation of the landscape.

 

As representações do rural e do urbano no romance Far from the Madding Crowd de Thomas Hardy

 

Resumo

O presente artigo traz reflexões a respeito da representação dos meios urbano e rural no romance de Thomas Hardy Far from the Madding Crowd (“Longe da Multidão Estulta”), publicado em 1874. Thomas Hardy foi um escritor inglês que viveu de 1840 a 1928 e publicou romances entre os anos de 1871 e 1895. O artigo desenvolve a questão do uso da literatura como fonte histórica das representações elaboradas em uma época. Apresentam-se as mudanças ocorridas no campo e na cidade no período e as relações estabelecidas entre eles como consequências dessas transformações. São discutidas as representações dessas espacialidades e como o escritor estabelece mediações entre elas. O romance de Thomas Hardy, apesar de aparentemente colocar o campo e a cidade em regime de oposição, também os aproxima. Encontramos nele dois níveis de representação, um, do imaginário do rural e do urbano predominante na época, e outro, a visão do próprio autor a respeito dessas concepções. São encontradas na obra representações da cidade através do olhar do campo, bem como as concepções do último pela primeira.

 

Abstract

This article examines the representations of the urban and rural environments Thomas Hardy’s novel Far from the Madding Crowd, first published in 1874. Thomas Hardy was an English writer who lived from 1849 to 1928 and published novels between 1871 and 1895. Throughout the article, the use of literature as a historical source of the representations created in a given time is explored. The changes which then had been taking place in the country and in towns and cities, and how they shaped the relations between them, are presented. The representations of the rural and urban environments are discussed, and well as how the writer mediates them. Hardy’s novel, even though it seems to oppose country and town, also brings them together. In it, there are two levels of representation, that of the age’s predominant conception of the rural and urban environments, and that of the writer’s own view on such notions.

Thus, the novel reveals both representations of the urban as seen by the rural environment, and the latter as seen by the former.

 

Das Sinfonias ao Samba: Representações Cinematográficas da Metrópole Brasileira

Resumo

O trabalho aborda as representações das cidades através do cinema, e sua atuação na composição de imaginários. São exploradas especialmente as obras cinematográficas que se utilizam da captação de imagens da metrópole em si, partindo das Sinfonias Urbanas do cinema de vanguarda dos anos 1920, passando pelo neorealismo italiano e chegando à cinematografia moderna brasileira. Sobre a cidade de São Paulo e seu imaginário de “Cidade Máquina”, percorrem-se as obras São Paulo Synphonia da Metropole (Adalberto Kemeny e Rudolf Rex Lustig, 1929), Simão o Caolho (Alberto Cavalcanti, 1952), Noite Vazia (Walter Hugo Khouri, 1964) e São Paulo Sociedade Anônima (Luís Sérgio Person, 1965). Já sobre o Rio de Janeiro, “Cidade Samba”, são abordadas as obras Rio 40 Graus (1955) e Rio Zona Norte (1957), ambos de Nelson Pereira dos Santos, Cinco Vezes Favela (Marcos Farias, Miguel Borges, Cacá Diegues, Joaquim Pedro de Andrade e Leon Hirszman, 1962) e A Grande Cidade (Cacá Diegues, 1966).

 

Abstract

The work examines the representation of cities through film, and its performance in composing imageries. Are especially approached cinematographic works that capture images of the metropolis itself, like the Urban Symphonies of 1920’s avant-garde cinema, Italian neorealism, and finally the Brazilian modern filmmaking. About the city of São Paulo and its imagery of “Machine City”, are presented the movies São Paulo Synphonia da Metropole (Adalberto Kemeny and Rudolf Rex Lustig, 1929), Simão o Caolho (Alberto Cavalcanti, 1952), Noite Vazia (Walter Hugo Khouri, 1964) and São Paulo Sociedade Anônima (Luís Sérgio Person, 1965). About Rio de Janeiro, “Samba City”, are discussed Rio 40 Graus (1955) and Rio Zona Norte (1957), both by Nelson Pereira dos Santos, Cinco Vezes Favela (Marcos Farias, Miguel Borges, Cacá Diegues, Joaquim Pedro de Andrade and Leon Hirszman, 1962) and A Grande Cidade (Cacá Diegues, 1966).

Os lugares no espaço: a problematização do Cine Belas Artes como Patrimônio Cultural de São Paulo

Resumo

No início de 2011, o Cine Belas Artes, tradicional sala exibidora do chamado “cinema de arte” em São Paulo, foi ameaçado de fechamento. Diversas manifestações foram realizadas pela sociedade civil em busca da salvaguarda da sala de cinema. Tendo em vista tal fenômeno, o presente estudo propõe uma investigação sobre o valor do Cine Belas Artes como bem cultural da cidade e da possibilidade de sua inclusão no rol do Patrimônio Cultural de São Paulo, a fim de subsidiar discussões acerca de sua preservação e cooperar para o debate de maior amplitude sobre os critérios de atribuição de valor predominantes e novas formas de atuação para a preservação e conservação do Patrimônio Cultural no meio ambiente urbano.

 

Abstract

In early 2011, Cine Belas Artes, traditional exhibitor room called “art cinema” in São Paulo, was threatened with closure. Several demonstrations were held by civil society in pursuit of safeguarding the cinema hall. Given this phenomenon, this study proposes an investigation into the value of Cine Belas Artes as a cultural wealth of the city and the possibility of it’s inclusion in the list of Cultural Heritage of São Paulo in order to support discussions about its preservation and cooperate for discussion of greater amplitude on the criteria for assigning value prevailing and new ways of working for the preservation and conservation of cultural heritage in the urban environment.

Representando um lugar na história: São Paulo anos 1920

Resumo

A década de 1920 foi especialmente importante na cidade de São Paulo por presenciar uma série de transformações urbanas que levariam à conformação de uma identidade social cujos vestígios são ainda percebidos nos dias de hoje. O presente trabalho pretende explorar as maneiras como esse modelo de cidade aparece representado na produção da vanguarda literária publicada no periódico modernista Klaxon em 1922, partindo para isso de uma dupla condição da cidade e sua representação neste período: primeiro, a sua inserção entre uma história forjada pelos cânones de uma modernidade que se pretende universal, relegando a São Paulo um lugar em sua periferia, e uma história universal formada por pequenas singularidades que renuncia a História oficial, evidenciando a riqueza na multiplicação de culturas que se interagem simultaneamente. Depois, sua representação também inserida na concepção de uma vanguarda que ora se demonstra uma derivação das vanguardas europeias, ora se apresenta como um movimento autêntico e original, sem com isso ignorar os jogos de força produzidos pela sociedade burguesa moderna herdeira do colonialismo.

 

Abstract

The 1920s were especially important in the city of São Paulo for witnessing a series of urban transformations that lead to the formation of a social identity whose traces are still perceived today. This study aims to explore the ways in which this model of city is represented in the production of literary avant-garde published in the modernist journal Klaxon in 1922, considering the double condition of the city and its representation in this period. First, its insertion between a history forged by the canons of a Modernity intended to be universal, relegating Sao Paulo to a place in the edge, and a universal history formed by small singularities that quits the Official History, highlighting the richness in the multiplication of cultures that interact simultaneously. Then, its representation also inserted in the conception of an avant-garde that sometimes appears to be a derivation of the European avant-gardes, at other times presents itself as an authentic and original movement, without thereby ignoring the tensions produced by modern capitalist society heiress of colonialism.

Forma, Imagem e História na classificação tipológica da área do Castelo, na cidade do Rio de Janeiro

Resumo

Considerando o espaço urbano como sendo composto por diferentes elementos que permitem ser agrupados de acordo com suas similaridades e/ou diferenças, ao transpor essa noção para o estudo das edificações e de suas características físicas, tais agrupamentos podem ser relacionados ao termo tipo. Gianfranco Caniggia (1979/1995) define o tipo na arquitetura tanto como uma pré-projeção de um edifício ainda a ser realizado, quanto como uma síntese das características físicas comuns a objetos arquitetônicos já existentes. Este artigo foca-se na dualidade presente no tipo, apresentando um método de classificação tipológica para edificações que incorpora a análise da forma, imagem e história destas arquiteturas, tendo como suporte os conceitos extraídos de autores que trabalham com a decodificação do espaço urbano, tal como Lamas (1993/2010), Lynch (1972), Cullen (1961/2008) e Kostof (1991/1993). A metodologia propõe a criação de um inventário tipológico que apresenta uma versão sintética das características dos edifícios analisados, resultante do processo de decodificação da forma urbana, e que pode vir a ser apropriado no estabelecimento de diretrizes para inserções arquitetônicas contextuais ao seu entorno. A área do Castelo, no Centro da Cidade do Rio de Janeiro, foi escolhida como estudo de caso para a demonstração da metodologia proposta. Primitivo núcleo de ocupação do centro histórico da cidade, o antigo Morro do Castelo foi demolido na década de 1920 criando um amplo vazio urbano, logo contemplado com as remodelações urbanas propostas pelo urbanista francês Alfred Agache (1930). A ocupação do Castelo nas décadas subsequentes resultou numa forma urbana de característica padronização tipológica em suas composições arquitetônicas.

 

Abstract

Considering urban space as a composition of different elements that can be separated into groupings based on their similarities and/or differences, when focusing this analysis on the study of architectural buildings and their physical attributes, these groupings may be associated with the term type. Gianfranco Caniggia (1979/1995) establishes type in architecture as both a pre-projection of a building yet to be designed, and as synthesis of the physical attributes common to buildings already constructed. This paper focuses on this duality of type, presenting a method for typological classification of architectural buildings that incorporates the analysis of said objects form, image and history, supported by concepts extracted from authors whose works focus on urban decoding, such as Lamas (1993/2010), Lynch (1972), Cullen (1961/2008) and Kostof (1991/1993). The attempt of this method is to create a typological inventory that presents a summarized version of the physical characteristics of the analyzed buildings, that is not only the result of the understanding and decoding of urban form, but could also be used to establish directives for architectural insertions that are contextual to their surroundings. The paper presents Castelo, an area in Downtown City of Rio de Janeiro, as case study for this proposed method of typological analysis. Once the original core of occupation of the city’s historic center, the Castelo Hill (Morro do Castelo) was eagerly demolished in the 1920’s, creating an ample urban void soon to be target of the remodeling proposals of French urban designer Alfred Agache (1930). The occupation of Castelo in the following decades resulted in an urban form with a distinct typological pattern in its architectural compositions.

 

O Pátio do Colégio em São Paulo: permanências no imaginário social, 1760-1954

 

O Pátio do Colégio em São Paulo: permanências no imaginário social, 1760 — 1954.

Eixo temático: Representações.

Representação da boemia em Belo Horizonte: o bairro Santa Tereza e as tradições dos bares e botecos

 

Representação da boemia em Belo Horizonte: o bairro Santa Tereza e as tradições dos bares e botecos

Eixo Temático: Representações

Resumo

Páginas