Cotidiano

Os protagonistas da escala do cotidiano são as pessoas em sua errância pela cidade, que a elas pode se apresentar como fragmentos consequentes de sua prática diária e são passíveis de serem organizados em relatos coerentes e inteligíveis. A sua perspectiva é a de quem vivencia o espaço citadino a partir de certas táticas, convertendo-se em um potencial agente de sua transformação. Suas memórias e vivências permitem perceber a cidade numa escala própria, diferente daquela do especialista, e revelam astúcias milenares de sua apropriação e significação. A esta seção interessam os trabalhos que tenham por foco a cidade e seus habitantes no percurso histórico, com atenção, por exemplo, às práticas e sociabilidades, aos espaços públicos e suas configurações.

A cidade do consenso e a ação crítica no espaço urbano

 

Resumo

O presente trabalho propõe uma leitura sobre dois modos de produção urbana que atualmente disputam espaço no território das cidades brasileiras. A primeira se configura em torno do pensamento consensual, e tem como ponto de partida a obra do filósofo francês Jacques Rancière. Com isso, procura-se identificar os possíveis pontos de contato entre o consenso, como ausência da política, e suas conseqüências no espaço urbano. A segunda é desenvolvida a partir das práticas centradas na ação crítica, refletidas aqui a partir de diversas especulações que a entendem como meio de afirmação de culturas defensivas, capazes de assegurar o múltiplo e a construção da alteridade, condições essenciais para a vida urbana. Propõe-se aqui um corte detido e vertical em que os casos referenciais servem como fenômenos que sejam similares e abrangentes o suficientes para se pensar nessa disputa, qual seja, entre o pensamento consensual e a ação espacial crítica. Como pano de fundo, espera-se que essa incursão possa contribuir para o debate atual sobre as cidades e o urbanismo, bem como auxiliar a se pensar alternativas aos modos consensuais e homogêneos de produção do espaço urbano.

 

Abstract

This paper proposes a reading of two modes of urban production that now can be identified on the territory of Brazilian cities . The first is configured around the consensual thinking, and takes as its starting point the work of the French philosopher Jacques Rancière . Thus, it attempts to identify possible points of contact between the forms of consensus and its possible developments in urban space . The second is developed from the practices centered on crítical action , here referenced from several speculations understand that as a means of asserting defensive cultures . These actions would be able to ensure the multiple as well as the construction of otherness, essential conditions for urban constitution. We propose here a restricted approach where the reference cases have sufficient similarities as to clarify this dispute. As background, it is expected that this incursion may contribute to the current debate about cities and urban planning, as well as helping to think about alternatives to consensual and homogeneous modes of urban production.

 

Festas paulistanas em perspectiva histórica de longa duração

 

Resumo

As festas sempre estiveram presentes na nossa sociedade, pontuando a história do Brasil. Entendidas como permanentes e constantes, sem nunca serem iguais, indicam mudanças lentas, muitas vezes em descompasso com o ritmo acelerado das expressões massivas causadas pelo crescimento rápido da cidade, pelo urbanismo e pelas políticas administrativas que visavam a controlá-las. As festas representavam um conjunto de sistemas simbólicos carregados de interesses eclesiásticos, civis (e urbanísticos), tendo uma função implícita ou explícita. Investigar a existência das festas e seu significado ao longo do tempo, assim como o seu processo de transformação, visualizando as permanências e as rupturas por parte dos diferentes grupos e interesses sociais foi nosso objetivo central. Para isso, nos valemos da longa duração, que nos permite perceber processos mais lentos de organização. Nosso grande desafio foi encontrar nos documentos oficiais vestígios materiais e sociais das festas que no passado ocorriam em São Paulo. O caso paulistano é um entre tantos outros e o estudo dos pormenores do processo permite entrever o jogo das práticas em meio às representações, longe de ser um processo linear e tampouco rápido e sem contradições.

 

Abstract

The parties have always been present in our society, highlighting the history of Brazil. Understood as permanent and constant, without ever being equal, they indicate slow changes, often in step with the rapid pace of massive expressions caused by the rapid growth of the city, by the Urbanism and by the administrative policies designed to control them. The parties represented a set of symbolic systems loaded with ecclesiastical, civil (and urban) interests, having an implicit or explicit function. Investigating the existence of the parties and their meaning over time, as well as their transformation process, seeing the continuities and the ruptures by different groups and social interests, was our main objective. For this, we followed the long duration, which allows us to perceive slower processes of organization. Our great challenge was to find in official documents material and social traces of the parties that occurred in the past of São Paulo. The Sao Paulo case is one among many others, and the study of the details of the process allows a glimpse of the practice game among the representations, far from being neither a linear process nor fast and without contradictions.

 

Na cidade, uma rua

Resumo

Este trabalho estuda Goiânia a partir de seus bairros. Visa elaborar uma versão de sua história mesclando aspectos arquitetônicos, urbanísticos e antropológicos. Essa abordagem se sustenta pelo entendimento da cidade como forma e conteúdo, como artefato ou obra de arte, desdobrada em lugar de vivências e de sentimentos, em ininterrupta interação. Portanto, aos aspectos morfológicos da cidade, sobrepõe-se o reconhecimento das relações que a moldam. Objetivando privilegiar o cotidiano, elegemos como interesse da pesquisa a principal avenida da cidade, a Av. Goiás. Eixo cívico da cidade que interliga o Palácio das Esmeraldas, sede do governo estadual, à antiga estação de trem da Estrada de Ferro Goiás, essa avenida foi traçada no sentido Norte-Sul, à semelhança de um Cardus Maximum. De antigo lugar de footing a espaço ocupado pelas grandes manifestações políticas, a história dessa rua, de suas modificações morfológicas e de sua ocupação, traduz o dia a dia da capital de Goiás ao longo de seus oitenta anos.

 

Abstract

This paper analyses the city of Goiânia, capital of Goiás State, through its neighbourhoods, seeking to formulate a version of its history that blends architectural, urban, historical, and anthropological aspects. Underlying this approach is the concept of city as form and content, as an artefact or work of art that unfolds itself as a place of experiences and feelings, in an everlasting interaction. The city’s morphological aspects, therefore, are superimposed by an awareness of the relations which shape it. To privilege daily life, this study elected Avenida Goiás, Goiânia’s main avenue, as the object of analysis. The avenue, which stands as the city’s civic axis linking Palácio das Esmeraldas, home to the state government, and the old train station of Estrada de Ferro Goiás, was designed following a north-south orientation, similarly to a Cardus Maximum. From its former status as a place for footing to its current backdrop for massive political manifestations, this street, in its morphological changes and occupation, offers a particular view of Goiânia’s daily life in the past 80 years.

 

Páginas